Crónica da vida que passa

Não rias, por favor
Não vivas por favor
A tua integridade
Depende da tua cor
A tua identidade
Depende do sabor
Qual é a vantagem
Meu amor?
Quanto é a margem
Meu amor?
Quanto é que vale
O teu pudor?
Está muito caro
Meu amor…
Vamos a Hiroshima
Com o senhor?
Vamos lá acima
Com o Senhor?
A tua virgindade
Pra lhe afogar a dor
Esquecer-se da idade
Com teu fulgor
Seremos felizes
Meu amor?
Nem que venda a casa
Aquele estupor
Ele nao te amava
Nao senhor
A vida é cara
Meu amor…